Arquivo para janeiro \31\UTC 2009

Canadian Movies, eh?

Curta de animação de 1988 The Cat Came Back

Curta de animação de 1988 The Cat Came Back

Bom, como ainda não enviamos a documentação e como o processo ainda vai se arrastar por muito tempo (é melhor pensar assim e depois ser surpreendido do que o contrário), vou tentar diversificar um pouco os temas dos posts. Mas sempre relacionados ao Canadá, é claro.

Recentemente, fiquei sabendo pelo Yahoo que, em comemoração aos seus 70 anos, a NFB – National Film Board of Canada está disponibilizando na internet  seu acervo de filmes para quem quiser assistir e o melhor, “de grátis”! Por enquanto, estão disponíveis mais de 700 filmes, em sua maioria documentários, mas que também incluem outros gêneros como dramas e animações. Segundo a NFB, a idéia é acrescentar novos filmes a cada semana.

Pra quem gosta de cinema e do Canadá é uma boa maneira de conhecer um pouco do que já foi produzido por lá, além de treinar o inglês (ou o francês) e ainda saber um pouco mais sobre a história e a sociedade deles. Não sou nenhum cinéfilo nem me interesso muito em filmes de arte, mas gosto de um bom filme, é claro. Particularmente, fiquei mais curioso para ver os curtas de animação. E num é que encontrei lá um desenho animado que tinha assistido há muito tempo (quando o Canadá era pra mim só aquele país frio pra caramba com uma folha vermelha na bandeira)? O nome do filme é The Cat Came Back. Vale a pena ver, muito engraçado. Segundo outros sites de notícias, outros “must see” filmes são The Big Snit, The Sweater, Hot Stuff, Neighbours e I’ll Find a Way. Acabei achando também uma animação feita por um brasileiro durante um curso na NFB, é o Animando de Marcos Magalhães.

Uma opção perfeita para passar o tempo enquanto se espera uma resposta do Consulado. Clique nos links e aproveite.

Abração.

A última carta

Bom, já se passaram muito mais que os 4 meses que o consulado nos dá pra enviar a documentação (não quero nem ver agora o tempo exato pra não ficar chateado). Essa demora se deve a vários fatores. Não vou falar de todos aqui mas os dois principais são o desinteresse no processo (provocado por outros motivos) e a demora em conseguir as tais das cartas de recomendação. Já mandei até um email para a Maria João avisando o motivo.

O fato é que a maioria delas não demorei pra conseguir. Mas teve uma agência em que trabalhei quase dois anos sem carteira assinada (e sem nenhum tipo de contrato) que mandou o texto (que fiz graças às valiosas dicas da Mariana do Lá no Canadá) para a advogada da empresa.  O resumo da história é que só consegui a carta depois de mudar o texto, colocando apenas os 10 meses em que trabalhei de carteira assinada. Agora tenho que alterar o meu histórico profissional no formulário, colocando Self Employment ou Unemployed nesse bendito período sem carteira  (a quem puder ajudar, se eu colocar self-employment, tenho que comprovar? Porque não tenho nenhum documento do período que comprove minha passagem por lá). As cartas da Suzi foram menos complicadas. Exceto de uma das empresas que está em processo de falência e só tem um funcionário representando a empresa aqui em Fortaleza. Mas também já conseguimos.

Enfim, agora é só alterar os formulários, conferir, fazer as fotos e mandar os documentos. Ichi, se bem que é preciso conferir também se os antecedentes criminais não venceram (já que só valem 3 meses).

Mas, agora tá mais perto do que longe.

Abraço a todos!!!


Canadian life

Quem somos

Tiquinho

Casal cearense com um filho daschund rumo ao Canadá, em busca de mais segurança, qualidade de vida e esquilos pra perseguir. :D

Siga Suando Frio via Twitter

Erro: o Twitter não respondeu. Por favor, aguarde alguns minutos e atualize esta página.